Margarida Fernandes

O meu Blog

A MEIA NOITE DEPOIS DOS ABRAÇOS, HÁ MUITO O QUE FAZER

SIMPATIAS, CRENDICES E SUPERSTIÇÕES DE ANO NOVO
A MEIA NOITE DEPOIS DOS ABRAÇOS, HÁ MUITO O QUE FAZER

PULAR SÓ COM O PÉ DIREITO. Você estará atraindo boas coisas para a sua vida, pois, segundo a Bíblia, tudo que está à direita é bom.
JOGAR MOEDAS, da rua para dentro de casa (se você mora no térreo, por favor). Dizem que atrai riqueza para todos que moram no lugar.

DAR TRÊS PULINHOS, com uma taça de champanhe na mão, sem derramar uma gota. Depois, jogar todo o champanhe para trás, de uma vez só, sem olhar. Você deixa para trás tudo de ruim. E não se preocupe em molhar os outros: quem for atingido pelo champanhe terá sorte garantida o ano todo.

SUBIR NUM DEGRAU numa cadeira, enfim, em qualquer coisa num nível mais alto. Diz o folclore que isso dá impulso a sua vontade de subir na vida. Comece, é claro, com o pé direito.

FAZER BARULHO: é uma forma de afugentar os maus espíritos que os povos antigos praticavam. Vale apito, batucada, bater panelas, desde que seja exatamente à meia-noite. Dizem que não há mal que resista.

ACENDER VELAS NA PRAIA ou jogar rosas nos espelhos de água, em intenção de Iemanjá. A deusa africana protege seus fiéis, com saúde, amor e dinheiro o ano todo, dia o candomblé. (CRUZ,89).

As portas e janelas das casas devem estar abertas, as luzes acesas. Ainda é de bom agouro ficar acordado.

Há ainda o belo costume de receber o Ano Novo com fogos de artifícios, sinos tocando e muita música, tudo à meia-noite. Enfim os desejos, pedidos, simpatias e sonhos sonhados.

Margarida Fernandes

Taróloga

Sou Taróloga há mais de 20 anos e tenho a Missão de ajudar a encontrar e orientar o caminho de quem me procura, através do Tarot, da Cartomancia e da Quirologia - Leitura de Mãos.

Ver todos os artigos

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MUDE HOJE MESMO A SUA VIDA

Está preparado para mudar de vida e descobrir a felicidade e a plenitude?