Psicologia Positiva Aplicada

Psicologia Positiva Aplicada
Sabia que…
A felicidade é estudada pela ciência? … Existem ferramentas para nos ajudar a aumentar o nosso nível pessoal de felicidade!

A Psicologia Positiva é uma das correntes mais recentes da Psicologia, focada no estudo das bases e razões do bem-estar psicológico e emocional.

Refere-se ao estudo científico do que contribui para a nossa felicidade / bem estar subjetivo e como podemos potenciá-la para podermos florescer e desfrutar de uma vida plena e com significado.

Um dos focos de estudo da Psicologia Positiva são as emoções positivas e os traços positivos dos indivíduos (as suas forças, virtudes, motivações e capacidades), propondo estratégias para alcançar e otimizar essas potencialidades, ajudando-os a atingir a sua “melhor versão”.

Cada pessoa é dotada de uma genuína combinação de qualidades (forças e virtudes) que a tornam única. A Psicologia Positiva debruça-se sobre o seu estudo – aquilo que faz com que as pessoas (e as organizações) prosperem de forma saudável, visando ajudar a promover o funcionamento positivo do ser humano: melhorar a qualidade de vida das pessoas e apoiar na construção de vidas mais felizes.

 A Psicologia Positiva é ciência!

É uma ciência, um ramo da Psicologia cujas conclusões assentam em  estudos e investigações conduzidos nos moldes científicos. Por isso distingue-se de outras abordagens.

 

Psicologia Positiva NÃO é:

  • Um movimento espiritual ou filosófico
  • Um mero método de auto-ajuda
  • Um conjunto de fórmulas mágicas para encontrar a felicidade
  • Mero pensamento positivo

 

A felicidade segundo a Psicologia Positiva

Com Martin Seligman (o “pai” da Psicologia Positiva), a Psicologia deu um novo passo: tornou-se necessário estudar, desde um ponto de vista científico,  tudo aquilo que faz feliz o ser humano, para ajudar as pessoas a construir uma realidade mais satisfatória. Seligman explica-nos que a felicidade nem sempre depende de fatores externos, sendo uma combinação única de “forças distintivas”, como por exemplo, o sentido de humanidade, a persistência e a capacidade de levar uma vida significativa.

 

A felicidade compreende vários elementos:

  • componente sensorial e emocional(que inclui as experiências agradáveis e as emoções positivas)
  • componente cognitiva (que se refere a como avaliamos a nossa vida e o quanto satisfeitos estamos com os seus diferentes aspetos)
  • O sentido da vida (sentir que a nossa vida tem um propósito e vale a pena)

 

A felicidade NÃO é:

  • Sentir-se sempre satisfeito com a vida
  • Nunca sentir emoções “negativas”
  • Estar alegre e bem disposto o tempo todo
  • Estar sempre a sorrir
  • Ter sempre todas as suas necessidades pessoais atendidas
Podemos aumentar o nosso nível pessoal de felicidade!
O que nos comprova a Psicologia Positiva:
  • As emoções positivas estão correlacionadas com a longevidade e mais saúde(Diener y Chan, 2011)
  • As pessoas felizes têm melhores relacionamentos com os outros (Peterson, 2006)
  • Os indivíduos que utilizam as suas forças e virtudes pessoais no trabalho desfrutam mais daquilo que fazem e são mais felizes (Harter y Rath, 2010)
  • As pessoas que expressam frequentemente gratidão têm melhor saúde, mais otimismo, bem estar, colaboram mais com os outros e progridem maisno alcance das suas metas (Emmons & Crumpler, 2000)
Saiba como a Psicologia Positiva Aplicada pode ajudá-lo:

- Contribui para o florescimento e o funcionamento saudável da pessoas, grupos e instituições:

  •  Melhora a qualidade de vida das pessoas, fortalecendo competências em vez de apenas corrigir deficiências;
  •  Ajuda a prevenir patologias – construção de vidas mais felizes e produtivas

Passado:

- Permite gerar emoções positivas;

- Encarar o passado com uma nova perspectiva, abandonando a ideia de que ele determina o futuro;

- Aumentar a Gratidão;

- Aprender a perdoar (a si mesmo e aos outros).

Presente:

- Viver o momento presente;

- Saborear os prazeres simples da vida;

- Sentir paixão pela vida e pelos objectivos;

- Amar-se a si mesmo;

- Sentir amor pelos outros;

- Passar mais tempo com as pessoas queridas;

- Desenvolver relações positivas ao seu redor;

- Colocar em prática no dia-a-dia o que se tem de melhor (as nossas forças internas).

Futuro:

- Desenvolver emoções positivas como confiança e esperança.

A Felicidade ao meu alcance!

Quantas destas afirmações lhe parecem familiares?

- Um dia vou ser feliz…

- Serei feliz quando encontrar a minha alma gémea

- Serei feliz quando tiver a casa dos meus sonhos

- Serei feliz quando tiver um emprego melhor

- Serei feliz quando na minha empresa me reconhecerem

- Serei feliz quando tiver muitos amigos

- Serei feliz quando tiver muito dinheiro

- Serei feliz quando ninguém me chatear no trabalho

- Serei feliz quando perder 5 kg

- Serei feliz quando viajar pelo mundo inteiro

- …

Por vezes, pensamos que a felicidade é um prémio que se obtém no fim de uma extenuante corrida ou que é algo que existe para perseguirmos constantemente.

Em vez de PERSEGUIR a felicidade, vamos PRATICAR a felicidade!
Como?
Adoptando novos hábitos (de pensamento, sentimentos e comportamentos):
Pensar, sentir e agir diferente!

 (in INCTA)